Museu da Abolição recebe 3ª Edição do Encrespa Geral

13697261_1146548502033135_1437282794101423098_n

Foto: Divulgação Encrespa Geral PE

A 3ª Edição do Encrespa Geral, promovido pelo Coletivo Encrespa, aconteceu no Museu da Abolição/Ibram no último sábado, 16 de julho, as 14h. O Coletivo Encrespa, surgido em 2011, iniciou sua atuação inspirado nas questões estéticas e de autoestima que envolve o uso do cabelo em sua forma natural, sem nenhuma intervenção química ou física, como alisamentos ou chapinhas. Esta atuação, inicialmente nas redes sociais, esteve voltada à divulgação de cuidados com os cabelos crespos e cacheados, de forma a evidenciá-los e valorizá-los, sem a prática do disfarce destes tipos de cabelo, estimulada na sociedade, nas mídias, propagandas, etc..

Em 2013, o grupo realizou os primeiros encontros regionais, em 15 cidades de diferentes estados, dentre elas o Recife. Surgiu assim a primeira edição do Encrespa Geral. A segunda edição foi realizada no ano seguinte, 2014, e contou com uma rica programação: palestras de conscientização, depoimentos e exposição de trabalhos artesanais dos participantes.

Para as organizadoras, o Encrespa Geral “é um evento que celebra a inspiração e valorização do uso do cabelo natural (cabelo crespo, cacheado, ondulado) como forma de autoconhecimento e reencontro das raízes, independente da idade, cor de pele, etnia ou tipo de textura capilar.  Nesse espaço é possível contribuir no processo de descoberta e aceitação da identidade negra que passa por muitos desafios para ser construída, respeitando e celebrando a diversidade do Brasil. Vemos o ato estético também como político, pois esteticamente sua imagem mostra o que você defende”.

A programação do evento contou  com roda de conversa sobre representatividade e empoderamento, com a presença do cabeleireiro Félix Oliveira, das estudantes de jornalismo Amanda Souza e Bianca Bion (da página do Facebook Revolução Crespa), da psicóloga Nathália Rocha (integrante do Grupo de Trabalho de Enfretamento ao Racismo do Conselho Regional de Psicologia)  e a pedagoga Ellis Oliveira ( participante do grupo de pesquisa GEPAR – Grupo de Estudos e Pesquisa em autobiografia racismo e antirracismo na educação).

 Além da exposição de produtos e sorteio de brindes o evento contou com um espaço voltado para o público infantil, o Encrespa Kids, que funcionou na Ludoteca do MAB, onde as crianças puderam desenhar, brincar e ouvir histórias sobre a cultura afro-brasileira. Outro ponto alto do evento foi o desfile organizado em parceria com a agência Creole Models, que selecionou dois modelos para fazerem parte do seu casting.

Ao apoiar este evento, o Museu da Abolição, mais uma vez, potencializou as ações do Projeto Selos MAB, que em 2016 tem por tema Mulher Negra Protagonista.

13770420_10202095574187330_8728953248597168409_n

Foto: Divulgação Encrespa Geral PE

Publicado em