Exposição Culturas Africanas – Arte, Mitos e Tradições

Ocupando as salas do pavimento térreo do Museu da Abolição (MAB), mais uma exposição temporária será aberta: Culturas Africanas –  Arte, Mitos e Tradições. A mostra tem o objetivo de enfatizar o variado e rico repertório de máscaras, totens e escudos de algumas etnias encontradas em países como a Costa do Marfim, Quênia, Burkina Faso, Angola, e outros. A inauguração, gratuita e aberta ao público, aconteceu no dia 10 de junho de 2015.

As máscaras foram escolhidas, talvez pelo seu caráter místico de ocultação ou de busca, de vida ou de morte, mas também, pelos seus elementos estéticos e estilísticos que traduzem a forte espiritualidade dos povos africanos. Nesse contexto, a Universidade Federal de Pernambuco (UFPE) e o MAB apresentam a exposição com o objetivo didático da produção de releituras.

Os expositores (alunos do Curso de Extensão de Modelagem em Argila da UFPE) realizaram uma farta pesquisa sobre as tradições, os costumes, os ritos e os mitos de povos africanos, para um melhor entendimento a respeito do significado simbólico desses povos, o que inclui máscaras, totens e objetos lúdicos e criativos do dia a dia. Valoriza-se assim, o conteúdo dos volumes, a variedade das formas geométricas, os contornos e as expressões faciais.

A direção da pesquisa e da Exposição está a cargo da professora Suely Cisneiros Muniz, do Departamento de Teoria da Arte e Expressão Artística, do Centro de Artes e Comunicação (CAC) da UFPE e do Professor Paulo Lemos de Carvalho, pesquisador em Antropologia da Arte Tradicional Africana, orientador e coordenador da presente pesquisa.

No caso das máscaras e totens, em vez da madeira – tradicionalmente utilizada em sua confecção – empregou-se inicialmente como matéria prima a argila, cuja experimentação em modelagem, resultou em um admirável efeito estético/ expressivo, vivenciado em cada etapa do processo.

Para a finalização, optou-se por um material contemporâneo – a massa plástica, fibra de vidro, pasta de celulose, entre outros, além do emprego de cores variadas e de pátinas, para conferir às máscaras uma textura semelhante àquelas originais. Outros elementos de caracteres ornamentais foram empregados como tecidos, conchas, chifres, metais, miçangas e fibras vegetais, que complementam a indumentária ritualística das peças expostas. Fazem parte do acervo indumentárias e adereços originais dos Reinos da “Grassland” da República dos Camarões e da arte Korhogo da Costa do Marfim.

A exposição está aberta a partir da próxima sexta-feira (12) até o dia 28 de novembro. O MAB funciona de segunda à sexta, das 9h às 17h e aos sábados, das 13 às 17h.

Serviço:

Rua Benfica, 1150. Madalena. Recife-PE

Fone: 81 3228.3248

mab@museus.gov.br

museudaabolicao.museus.gov.br

Publicado em